Arquivos Aeronáuticos no Google+

O PROFISSIONAL PANO-PRETO

Definições do que é ser um Pano-Preto

Minha experiência de vida e de aviação me torna capaz de apontar alguns pontos que definem o verdadeiro piloto pano-preto. Não obstante, essa é apenas minha opinião, não sendo algo definitivo, mas talvez possa ser aceito por muitos.


O “piloto pano preto” é aquele que, em sua grande maioria, não teve acesso e facilidade de acesso aos materiais de estudos (na época de sua formação), mas que fica muito “P” da vida com os pilotos mais recentes que dispõem da facilidade da internet e das vastas publicações disponíveis. Nesse caso, ele deseja que o novo piloto também deva sofrer o mesmo que ele passou. Não aceita saber que alguém no mundo não precisou passar pelas mesmas dificuldades sua.

O “piloto pano preto”, de certo, deve ter tido muitas dificuldades na época de escola, aliados a problemas financeiros, pessoais, familiares e na formação do baixo caráter que envolve sua vida pessoal. Geralmente são filhos de pais separados e trazem no instinto o sentimento de vingança por não ter tido a companhia do pai na época de infância. São introspectivos, demoram a aceitar facilidades inerentes típicas do século 21 e não aceitam facilmente dicas de outras pessoas, pois, no passado, foram obrigados a ter que tomar suas próprias decisões, ora acertadas, ora erradas.

O “piloto pano preto”, normalmente é uma pessoa de caráter explosivo. Grita com todos e briga com o mundo. Vive nervoso e não aceita viver no mundo que ora habita. Ele não conseguiu ter sorte no casamento, e quando ainda está casados, seu dia-dia é uma confusão. Não se relaciona bem com pessoas do sexo oposto e nem com parentes. Perde boa parte da vida procurando defeito em tudo o que vê pela frente – um verdadeiro frustrado, porque deseja que todos estejam na mesma situação que a sua. A maioria são separados, pagam pensão (ou não) e descontam esse desconforto pessoal no próximo, achando que não é digno de passar o que passam, por pensarem que por ter tido muitas dificuldades na vida, acham que são e estão acima da verdade e de todos.

O “piloto pano preto”, alimenta um sentimento de “Culpa-Recompensa”, onde tudo está no lugar errado ou tudo é ruim. Nada lhe contenta se estiver no lugar que deveria estar. Seu mundo deve ser o mundo de todos. Deseja para si que as pessoas tenham dó da vida em que passou, e não perde a oportunidade de comentar os problemas do passado, com o desejo de que as pessoas fiquem sensibilizadas com ele. Não aceita em hipótese alguma que outro iniciante na carreira da aviação seja melhor que ele; que outro seja mais capaz que ele. Isso para ele é uma ofensa mortal. Só ele é que sabe das coisas (uma visão macabra e errônea de mundo).

O “piloto pano preto”, não teve sucesso em muitas coisas de sua vida e, a aviação lhe serve como uma fuga de seus problemas pessoais. Passa a “morar” em aeroportos, viver dentro de hangar, viver e respirar aviação, (acha que) sabe de tudo e por ele ninguém passa se não tiver o seu aval. Tem o desejo de aparecer como profissional, nem que para isso necessite humilhar e/ou pisar nas pessoas. É um verdadeiro recalcado no meio errado. Faz fofocas alheias e se alimenta do mal em que é capaz de fazer. Nunca perde a chance de humilhar um novato na frente de pessoas importantes, achando que assim será bem acolhido como legítimo e experiente. Pobre coitado. Está fadado a viver só durante a velhice, largado em um asilo ou em um manicômio.

O “piloto pano preto”, não teve acesso à tecnologia que hoje encontramos, não consegue se adaptar muito bem com essa ferramenta e para não ficar para trás, prefere pôr de lado o que é necessário, (pré) julgando como uma função desnecessária. Tem medo de tudo que envolve computador ou sistema computacional.

O “piloto pano preto” tem uma necessidade muito grande de sempre se manter em um destaque que nunca esteve. Deseja se auto-impor – estar no pedestal, revelando assim seu baixo caráter, uma prepotência impar, arrogância ao extremo e o maior dos egoístas. Para poder esconder todas suas mazelas, necessita exibir ao mundo que é boa pessoa. Como ele sabe que os pilotos do meio em que ele habita sabem de suas más qualidades, não ajuda ninguém desse meio, prefere convidar outro piloto, de outra cidade (que não saiba nada de sua vida), para convidar a voar de co-piloto. Seu maior desejo não é ajudar, mas sim “exibir” aos falsos amigos que é uma pessoa boa ao extremo, pois tem o desejo de ajudar até mesmo quem não conhece. É o sentimento de fuga que faz vivenciar essa atitude. Esse “novo piloto” – futuro “novo co-piloto em instrução” não vai suportar por muito tempo ter que conviver com as atitudes desse PP e em pouco tempo deverá (por iniciativa própria) se afastar dele. Mas o “piloto pano preto” já tem a resposta disso na ponta da língua: “Ele foi embora porque é um fraco e incapaz. Não serve para ser piloto”.

Enfim, as qualidades que rodeiam um “piloto pano preto” são tantas, que eu poderia passar horas e horas anotando minhas impressões vivenciadas, tendo que, possivelmente, escrever um livro de 40 mil páginas, mas essas linhas foram só uma pequena impressão do que já vi nas minhas diversas viagens pelo Brasil a fora.

Você deseja saber identificar um “piloto pano preto”???

Veja, se informe, ou pergunte a ele quantos novos pilotos passaram em suas mãos e quantos realmente se formaram... Essa conta vai ser absurda: vários tiveram a oportunidade de voar com ele, mas poucos (pouquíssimos mesmo) tiveram a oportunidade de aprender e ter suas carteiras checadas com a ajuda desse “profissional”, e mesmo assim às custas de muita humilhação do doutor Pano-Preto.

Um comentário:

  1. Haja pano-preto e ao meu ver é sinonimo de egoísta e, antónimo de empatia, normalmente usam da má língua por se julgarem acima de tudo e de todos, verdadeiros manipuladores, judas.

    ResponderExcluir