Arquivos Aeronáuticos no Google+

DÊEM ASAS AO BRASIL . . .

Quem foi Assis Chateaubriand ?

Um herói pouco conhecido de nós brasileiros, inclusive de muitos pilotos da aviação civil.


A campanha nacional da aviação, ou CNA, como ficou conhecida a campanha que também foi chamada de Campanha para Dar Asas a Juventude Brasileira ou Dêem Asas ao Brasil, foi organizada no governo de Getúlio Vargas, tendo sido idealizada pelo jornalista Assis Chateaubriand, proprietário da cadeia de jornais Diários Associados, e pelo senhor Joaquim Pedro Salgado Filho, então Ministro da Guerra.

Durante a década de 40, surge no Brasil uma campanha que visava a doação de aviões, ou dinheiro e materiais que servissem para a compra ou construção de um avião, ampliação de hangares ou construção de campos de pouso para os chamados aeroclubes.

Um dos objetivos da CNA, em doar aviões e fomentar a criação de aeroclubes, era consolidar a aviação civil no país. Também procurava, com a formação dos pilotos e constante movimentação no espaço aéreo brasileiro, monitorar sobrevôos de aviões inimigos ao nosso território, já que estávamos vivendo a Segunda Guerra Mundial.

A CNA, foi terminada no início da década de 50, foram doados mais de mil aviões por todo o Brasil, além de alguns doados a aeroclubes de outros países da América do Sul e de Portugal. Nosso país teve um acréscimo de mais de três mil pilotos civis e militares brevetados em aeroclubes. Passamos também da uma quantidade inferior a 40 aeroclubes, para cerca de 400 destas instituições espalhadas por todo o país.

Aeroclube era a instituição responsável por fornecer cursos, treinar pilotos, formar mecânicos e instrutores de vôo, bem como fornecer espaço para eventos na área da aviação e opções de fretamento de vôos particulares. Na cidade do Rio de Janeiro, estava sediado o Aero Clube do Brasil, responsável pelo registro e pelo controle dos demais aeroclubes do país, bem como pertencia a ele a função de treinar instrutores de vôo para os demais aeroclubes. Contudo, era no estado de São Paulo que havia a maior quantidade daquelas instituições em funcionamento. Nomes importantes como o de Leonel Brizola, podem ser encontrados em listas de pilotos brevetados por aeroclubes.

Fonte: Wikipédia

Image and video hosting by imageshack

2 comentários:

  1. Realmente o Brasil atual esqueceu-se de todos esses patriotas a começar por Santos Dumont, só lembrado anualmente, Chatô como era conhecido foi o grande nome das comunicações no Brasil inclusive trazendo a TV para o Brasil do Radio, lembro-me bem em 1954 qdo meu pai comprou uma TV TeleKing importada dos EUA, , pena que Chatô tenha sido vitima do regime militar e depois da trama sórdida para distribuir sua rede pelos abutres que apoiaram o regime militar de 64, não é por acaso que exatamente 10 meses após o golpe nascia a Rede Globo de Televisão..premio dado a Roberto Marinho pelo apoio irrestrito e até efusivo a derrubada de Jango.. e agora 48 anos depois os herdeiros chamam aquele periodo de DITADURA, da qual beneficiaram-se largamente da ajuda federal durante 20 anos..e agora é esse polvo que tudo pode.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Miguel, não fui da época do Chatô mas, não sei porque, sempre tive ele como outro bom marco na história da aviação brasileira e muitos nunca ouviram falar dele... e nem procuram saber quem foi. Por isso, faço aqui minha singela homenagem a ele, para que muitos tenham a oportunidade de saber que já existiu no Brasil alguém que pensou positivo da aviação. Obrigado pelas palavras e volte sempre!!!

      Excluir