Arquivos Aeronáuticos no Google+

COMO INIBIR A PIRATARIA AÉREA

A ANAC iniciou há meses uma campanha para coibir a realização de vôos remunerados com a utilização de aeronaves na categoria particular (TPP). Essa campanha teve como objetivo alertar a população usuária dos riscos de se utilizar empresas "piratas" para transporte, bem como sensibilizar os proprietários de aeronaves para passarem pelo processo de homologação técnica.


Mas quem são os PIRATAS? São empresas ou proprietários de aeronaves que utilizam irregularmente uma aeronaves TPP para transporte remunerado de passageiro. Preços atraentes e pressa são alguns dos fatores que levam os usuários a embarcarem numa verdadeira furada.

De acordo com a ANAC, o táxi aéreo pirata pode até cobrar menos, em compensação, não oferece o nível de segurança exigido. A ANAC alerta ainda para a questão das indenizações, pois "se o serviço não é regularizado, conseqüentemente não está coberto por seguro, portanto, não pagará indenização em caso de acidente".

Diversas ações no sentido de melhor esclarecer e orientar o público envolvido tornara-se, portanto, necessárias. Algumas dessas ações estão descritas abaixo, juntamente com o seu respectivo enfoque.

IDENTIFICAÇÃO DO AVIÃO DE UM TÁXI AÉREO:

A ANAC preparou uma série de medidas para fechar o cerco contra as empresas piratas de táxi aéreo. Ou seja, todas as aeronaves corretamente registradas para o transporte de passageiros ou carga devem exibir a pintura com os dizeres "TÁXI AÉREO".

A pintura da inscrição "TÁXI AÉREO" na fuselagem e próximo à entrada principal da aeronave, estabelecida na Seção 45.12 (Portaria 1214, de 22 de agosto de 2000), até 15 de fevereiro de 2001, constitui um meio essencial para que o passageiro possa exercer o direito de verificar se o serviço que deseja contratar será prestado por uma empresa devidamente autorizada pela ANAC.

DIVULGAÇÃO PELA INTERNET:

A campanha contará com o auxílio da HOME PAGE da ANAC, possuindo um domínio próprio para esse segmento, com uma página (ou páginas) que contenha(m) todas as informações básicas sobre os processos jurídicos e técnicos para que os táxis aéreos brasileiros e usuários obtenham, de forma rápida, as regras de segurança a serem observadas, bem como esclarecimentos sobre o programa de homologação, eventos, empresas, e dúvidas mais freqüentes. Através dela, deverá ser possível inferir os benefícios de se utilizar empresas homologadas, com adequadas estruturas técnicas de manutenção e operação, em relação àqueles serviços oferecidos pelos táxis aéreos clandestinos.

DIVULGAÇÃO DE CARTAZES:

Através da divulgação por cartazes afixados no máximo de aeroportos e aeródromos possível e em locais de circulação intensa de passageiros desse segmento, bem como a distribuição de folhetos explicativos. Mais de dois mil cartazes e cerca de vinte mil folhetos, com dicas sobre o assunto, já estão prontos e sendo distribuídos.

A campanha tem um cunho INFORMATIVO para os passageiros, orientando-os sobre como identificar uma aeronave de táxi aéreo autorizada (pintura na fuselagem de acordo com o RBHA 45), categoria de registro, e Certificado de Aeronavegabilidade.

DIVULGAÇÃO ATRAVÉS DE ENTIDADES:

As Associações comerciais e industriais, entidades governamentais e outras instituições que utilizem esse serviço de táxi aéreo devem ser cientificadas para que possam auxiliar nessa campanha.

2 comentários:

  1. Devem permitir aos candidatos, prestarem provas da banca da ANAC, sem impor curso teórico em instituição homologada, teoria, estudo autodidático opção para candidatos em pleno Sec. XXl.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente amigo. Hoje qualquer pessoa pode prestar prova de vestibular seu a necessidade de um curso teórico, bastando apenas estudar por meios próprios. Estamos no século 21 sendo governado por pessoas que ainda pensam de acordo com o século 20....

      Excluir