Arquivos Aeronáuticos no Google+

REQUISITOS GERAIS PARA ASSISTENTE OU COMISSÁRIOS DE BORDO


Os requisitos aqui referidos são apenas tópicos de ordem geral, que podem ajudar possíveis interessados na Profissão de Tripulante de Cabine a conhecê-la melhor, mas não podem ser identificados com nenhuma Companhia Aérea em particular e não substituem os que, a cada momento, possam ser exigidos por alguma Companhia Aérea para algum concurso.

Os candidatos a Comissário de Bordo (C/B) e a Assistente de Bordo (A/B), devem ser indivíduos que reúnam principalmente uma boa aparência, uma boa saúde, uma boa capacidade de comunicação, sendo extremamente importante também que tenham uma boa dose de bom senso e autodomínio, para deles se poderem valer em situações de emergência.

Aliado a esses fatores, exige-se igualmente que detenham um mínimo de habilitações literárias ao nível do 2º grau e uma boa fluência de Inglês e Francês, sendo preferencial a fluência em outros idiomas, como por exemplo, Espanhol, Alemão, Italiano, entre outros.

A idade limite pedida pelas Companhias Aéreas varia normalmente, entre os 25 e os 29 anos, salvo os elementos qualificadores e com experiência profissional, tendo cada Companhia as suas próprias regras. Existem também mínimos e máximos de altura que dependem do equipamento (tipo de avião) a voar e que variam de Empresa para Empresa.

1. Boa aparência - Não é necessário ser o mais deslumbrante nem o mais atraente, mas sim parecer e sentir-se no seu melhor. Uma aparência geral é conseguida pela inter-relação de muitos fatores. A imagem que o candidato deve apresentar, deverá ser a soma de todas as características físicas, movimentos de corpo e da sua atitude mental. É preciso não esquecer que o C/B ou A/B, desempenha um papel vital no seu trabalho. A sua aparência é julgada por muitas pessoas como um reflexo da companhia e também da sua atitude para com o seu trabalho. As Companhias Aéreas têm muito orgulho na aparência do seu PNC (Pessoal Navegante de Cabine), de modo que cabe a cada um escolher um estilo de aparência que esteja de acordo com o que lhe ficará natural.

2. Boa Saúde - O candidato a C/B ou A/B tem de ser bastante saudável, pois vai trabalhar num ambiente onde o ar é mais rarefeito do que aquele a que está habituado. O PNC trabalha num meio onde os efeitos do ruído, vibração, calor, frio, forças de aceleração e alterações de pressão atmosférica estão bem presentes e, como o elemento humano é a mais flexível, adaptável e valiosa parte do sistema da aviação, mas é também o mais vulnerável a influências que podem afetar adversamente a sua performance. A Medicina Aeronáutica é uma das áreas mais exigentes na seleção do PNC. Quer isto dizer que o candidato a C/B ou A/B vai ser alvo, durante toda a sua vida profissional, a rigorosos exames médicos. Deve, pois ter todo o cuidado com a sua saúde. Ter bons hábitos alimentares, bons hábitos de sono, abster-se de fumar e ingerir bebidas alcoólicas, enfim, tomar todas as providências para que mantenha um elevado índice de saúde.

3. Boa Capacidade de Comunicação - Como é óbvio o candidato deve ser dotado de uma elevada capacidade de comunicação verbal e gestual. O Tripulante de Cabine trabalha em equipe e está constantemente se comunicando com todos os passageiros de modo a prestar-lhes a mais elevada assistência possível. Deste modo deve ser dotado de um perfil psicológico que lhe garanta a transmissão interpessoal de idéias, sentimentos e atitudes que possibilitem e assegurem a dinâmica grupal e social. A capacidade de se comunicar gestualmente é da mais elevada importância, especialmente em casos de emergência, pois usando processos empáticos e eventualmente traduzíveis através de movimentos expressáveis, precede, modela e codifica a comunicação verbal.

4. Bom Senso e Autodomínio - Um Candidato a Tripulante de Cabine vai ser treinado para identificar situações de risco e agir face ao perigo de uma forma determinada e profissional. Embora as tarefas relacionadas com a assistência a passageiros sejam normalmente as mais reconhecidas pelo público, estas são relegadas para um plano secundário quando comparadas com a responsabilidade que cai sobre os ombros de um Tripulante de Cabine numa situação em que a sobrevivência dos ocupantes do avião corre iminente perigo. Deste modo necessita o mesmo de ser dotado de uma grande capacidade de autodomínio para manter a liderança em situações de modo a evitar o pânico generalizado. Deve fazer uso do seu bom senso para através de uma boa observação e aquisição de fatos para julgar pelo melhor, decidir da melhor forma e atuar da melhor maneira.

5. Habilitações Literárias - O mínimo exigido pela maior parte das Companhias Aéreas brasileiras é o 2º grau de escolaridade em qualquer área. O domínio oral das línguas Francesa e Inglesa é fator eliminatório no processo de seleção. Atendendo à grande concorrência atual no mercado de trabalho, são óbvio que a maior parte das Companhias Aéreas está cada vez mais dando prioridade aos candidatos que apresentem Bacharelatos / Licenciaturas nos cursos de Relações Internacionais, Gestão Hoteleira, Turismo, Línguas e todos os demais diretamente relacionados com Marketing e Gestão de Recursos Humanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário