Arquivos Aeronáuticos no Google+

COMO É FEITO O CONTROLE DE TRÁFEGO AÉREO NO BRASIL

É mais complicado do que normalmente se pensa. A famosa torre de controle que existe nos aeroportos, na verdade, realiza só uma pequena parte desse processo e geralmente deixa de se preocupar com o avião assim que ele descola da pista.

Dependendo do trajeto, entre o momento em que pede autorização para partir e a aterragem final, o piloto pode entrar em contato com mais de dez pessoas diferentes pelo rádio, pois a responsabilidade pelo voo vai passando de uma estação de controle para outra.


O céu parece infinito, mas com tantos aviões no ar é preciso coordenar tudo muito bem para impedir que um atravesse o caminho do outro. A parte mais crítica do processo são as zonas que concentram muitos aeroportos, chamadas de áreas terminais pelos controladores. Uma das mais movimentada a nível mundial, a de São Paulo - que compreende os aeroportos de Guarulhos, Congonhas, Campo de Marte, Viracopos e vários outros de menor porte - chegou a registar mais de 100 aviões no ar, num único momento, no horário de pico.

Consequentemente, os controladores devem ser pessoas quase neuróticas, que temem o menor erro a cada minuto, certo? Errado.

"Essa idéia de risco constante não tem nada a ver com a realidade. Todas as condições são controladas, e a nossa operação é padronizada, rotineira, e os controladores não estão sob maior tensão do que muitas outras profissões", afirma o tenente-coronel Hélio da Silva Filho, chefe do Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP), órgão da Aeronáutica responsável pelo controle do tráfego aéreo nesse estado e no Mato Grosso do Sul. O trajeto de cada avião segue por um certo número de estradas aéreas pré-definidas. Nas áreas terminais, onde as rotas se cruzam, também há planos preconcebidos para pouso e descolagem. Em geral, os controladores preocupam-se só, em escolher a melhor rota, verificando se o piloto não sai dela e se não há dois aviões próximos seguindo o mesmo caminho na mesma altitude.

Este trabalho foi muito facilitado pelos computadores, pelo aperfeiçoamento dos radares e pela criação dos transponders, aparelhos localizados nos aviões que respondem ao radar e informam, no ecrãn do controlador, qual o número do voo, assim como a sua velocidade e altitude.

1 - Antes de descolar, o piloto preenche um plano de voo, informando o destino, a trajetória e a altura em que pretende voar. O plano é comunicado pela torre de controle do aeroporto ao Centro de Controle de Área. O centro aprova ou sugere uma mudança do plano, à torre.

2 - A torre informa ao piloto que seu plano está aprovado e dá-lhe autorização para ir até a cabeceira da pista do aeroporto, quando ela estiver livre. É a torre que escolhe qual pista a ser usada, dependendo das condições do vento. Finalmente, ela autoriza o piloto a descolar.

3 - Após o avião descolar, a torre não se preocupa mais com ele. Daqui para a frente, o piloto só comunica com o Controle de Área Terminal, que coordena todos os voos dentro de uma região com muitos aeroportos.

4 - No Controle de Área Terminal, oito duplas de controladores dividem a região, cada uma cuidando de um setor. Em cada dupla, um mantém a comunicação com o piloto e o outro acompanha o processo, descobrindo erros e comunicando-se com as torres e outros centros de controle.

5 - O ecrãn, é a principal ferramenta dos controladores. Aí, cada pontinho representa um avião, com o número do voo, a altitude e a velocidade. Cada controlador é responsável por cerca de cinco a oito aeronaves. A área terminal de São Paulo vigia vários quilômetros em torno de Campinas e da capital do estado, uma região que forma um 8 na tela.

6 - Ao sair da área terminal e alcançar a altitude máxima, o avião já está em rota. Agora, ele é acompanhado pelo Centro de Controle de Área até se aproximar do seu destino final. Os controladores desse centro mantêm o piloto informado sobre sua rota e sobre as condições do tempo. O Brasil está dividido em cinco grandes áreas de controle, cujos centros ficam em Brasília, Curitiba, Recife, Belém e Manaus.

7 - Quando o voo se aproxima de seu destino, o piloto faz o caminho inverso: deixa de se orientar pelo Centro de Controle de Área e passa a seguir as instruções do Controle de Área Terminal da região de chegada, que vai instruí-lo sobre a aproximação da pista. Quando estiver pronto para pousar, o piloto entra em contato com a torre do aeroporto. Se a pista estiver livre, ele recebe autorização. Se não estiver, ele terá que reduzir a velocidade ou dar uma nova volta pelo aeroporto até poder terminar a viagem.

4 comentários:

  1. Obrigada, pela aula.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom saber que de alguma forma alguém gostou de minhas postagens. Volte sempre amiga.

      Excluir
  2. Eu amei, mas preciso urgente saber sobre os orgãos existentes no regulamento aeronautico. Não consigo diferenciar o que é orgão o que não é por exemplo. temos os Comar's, temos os serac, srpv, cindatac, dai vem, atc, atz,cta, ctr, tma, Fir, fis, afis, entre outros, não itendo muito bem sua ierrarquia nem quem é subordinado de quem. tenho o programa de pilotos que baixei de vocês, mas mesmo assim, esta uma tortura tentar intender. Por exemplo, pensei que Comar, Serac e srpv era quem controlava as regiões do país, regioes essas que são diferentes de nosso mapa, lugares como Maranhao e outros estados nordestinos são norte, Mato grosso é oeste, entao mais e frente temos outros orgãos de região como fir, e um outro com R inicialmente, então. Simplesmente muito bagunçado. Exemplo, alguns orgãos tem os mesmo poderes, obrigações ou funções que outros. Exemplo, torre, acc, app entre outros. não são iguais, mas a torrem mada nisso nisso e naquilo, e um desses itens tambem é do acc. fica meio dificil. Por favor, tenta ramificar isso pra mim e explicar o minimo sobre cada. O que é orgão, o que tais orgãos juntos se formam.

    ResponderExcluir
  3. Rocha, controle de Tráfego aéreo (em ordem do maior para o menor em volume) são: ACC, APP, TWR, GND e DEL. Esses são os de comunicação avião/controle. O ACC controla uma FIR/UIR, o APP controla uma TMA, uma TWR controla uma ATZ, CTR e o tráfego no aeroporto. GND e DEL são controles de solo. FIR/UIR/TMA/ATZ e CTR são as aéreas onde os aviões voam. Qualquer coisa, posso te ajudar em algo para melhor seu entendimento, me procure pelo Skype: fredfvmm

    ResponderExcluir